GOLPE NO FGTS BANCOU SOLARIS

A Operação Triplo X investiga a liberação irregular de recursos do FGTS para a OAS erguer o edifício Solaris, no Guarujá, onde está o triplex de Lula.

A OAS Empreendimentos, subsidiária que começou a operar em 2006, emitiu R$ 300 milhões em debêntures para financiar várias obras que eram da Bancoop.

Esses títulos foram adquiridos pela Caixa com recursos do FGTS, ou seja, dinheiro do trabalhador.

A empreiteira deu como garantia os recebíveis dos empreendimentos e os terrenos dos edifícios. Quem avaliava essas garantias? A Sscore Soluções, que pertence a André Luiz de Souza, então representante da CUT no conselho curador do… FGTS.

Essas debêntures financiaram, até 2013, R$ 58,4 milhões em empreendimentos da Bancoop, sendo R$ 43,5 milhões para o Altos do Butantã – onde o presidente da CUT ganhou seu apartamento – e outros R$ 14,9 milhões foram investidos no Solaris.

Veja mais em:

Esquema movimentou R$ 3 bilhões

“ANDRÉ” É O ELO DA TRIPLO X COM O PETROLÃO

EMBAIXADOR QUE CAIU DO 11º ANDAR ERA SÓCIO DE OPERADOR DO FGTS