ACESSE

Governador do Rio Grande do Sul é "censurado" em ato de centrais sindicais

Telegram

O tucano Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, sofreu uma “censura” durante o evento promovido hoje por centrais sindicais para celebrar o Dia do Trabalho.

Apesar de ter enviado uma mensagem para o ato, Leite não teve seu vídeo exibido pela TVT — emissora ligada à CUT.

Na mensagem, o governador gaúcho elogiou a reforma trabalhista, aprovada pelo governo de Michel Temer em 2017 — e muito criticada pelos sindicalistas.

“Quando o Brasil criou a CLT, nos anos 1940, a realidade era diferente. Com o passar do tempo e apesar de todas as atualizações feitas nos últimos 70 anos, como a reforma trabalhista de 2017, nós ainda não conseguimos pavimentar um caminho mais concreto para reduzir o desemprego, que está se agravando com a crise do coronavírus”, diz o tucano na gravação.

Outro vídeo não exibido foi o do governador do Rio, Wilson Witzel.

Segundo a CUT, alguns vídeos foram recebidos depois do horário máximo estipulado pela produção, o que inviabilizou sua exibição. A entidade nega qualquer tipo de censura.

Leia também: Bom jornalismo: sua vacina contra fake news. Imunize-se

Comentários

  • Abilio -

    Kkkkkkkkkkk

  • Jurandir -

    Ser censurado pelos sindicatos e pela máfia não é demérito pra ninguém, pelo contrário

  • Edimar -

    Quem explora o trabalhador é a CUT? Vivendo e aprendendo!

Ler 27 comentários