Governador interino do Rio não se compromete a escolher mais votado para MP-RJ

Governador interino do Rio não se compromete a escolher mais votado para MP-RJ
Foto: Carlos Magno/Governo do Rio de Janeiro

Cláudio Castro, o governador interino do Rio, não se comprometeu nesta segunda (9) a nomear o mais votado no Ministério Público estadual para chefiar o órgão, registra a Folha.

“Esse debate está sendo muito antecipado. Eu só vou receber [a lista tríplice] das mãos do [procurador-geral de Justiça] Eduardo Gussem no dia 1º de janeiro. No dia 1º de janeiro a gente marca outra coletiva para falar disso”, disse Castro, durante evento no próprio MP-RJ.

Há dentro do Ministério Público fluminense o temor de que a família de Jair Bolsonaro –alvo de investigações da instituição– influencie na escolha. Castro é tido como mais simpático ao presidente que Wilson Witzel, o governador afastado, hoje ameaçado de impeachment.

No Rio, o governador pode escolher qualquer dos nomes da lista tríplice, mas nos últimos 15 anos o escolhido tem sido sempre o mais votado.

Nesta eleição, só três dos cinco postulantes à chefia do MP-RJ se comprometeram a recusar a indicação em favor do mais votado. Um dos que não o fizeram foi  o procurador Marcelo Rocha Monteiro, apoiador dos Bolsonaro e o preferido do grupo político do presidente para assumir a vaga.

Não custa lembrar que o presidente ignorou completamente a lista tríplice da categoria ao escolher Augusto Aras para o comando da PGR.

Leia mais: As revelações feitas pelo Antagonista e pela Crusoé são inúmeras.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 20 comentários
TOPO