ACESSE

Governadores não querem reforma da Previdência paralela no Senado

Telegram

Os governadores do Rio Grande do Sul e Pará, Eduardo Leite e Helder Barbalho, respectivamente, criticaram hoje a apresentação de uma PEC paralela para reincluir estados e municípios na reforma da Previdência.

Devido ao ceticismo da aprovação do novo texto, os governadores já preparam uma proposta com novas regras para servidores estaduais a serem encaminhadas às assembleias legislativa no próximo mês.

“Essa PEC paralela vai tratar apenas do ponto da divergência [incluir ou não estados e municípios na reforma]. É difícil vê-la prosperar se não houver fatos novos, uma vez que ela vai se deter apenas sobre o ponto que já foi divergência. Dificilmente terá agilidade. E mais, pode gerar até uma imobilização dos estados. Porque você fica na expectativa: vai ter? Não vai ter? Vai aprovar? Não vai? Faço algo ou não faço? A melhor resposta depois de um ‘sim’ é um ‘não’ rápido. Não dá para ficar empurrando”, disse Leite.

“Eu confesso que, na minha opinião, e é uma opinião que faço particularmente pelo meu estado, se for para o caminho de uma nova PEC, nós passamos a trabalhar com o cenário de encaminhar para a Assembleia Legislativa e não esperar mais. O deadline é a primeira quinzena de agosto para saber efetivamente o que vai acontecer, não dá para ficar nesse limbo”, completou Barbalho.

O presidente do Senado Federal, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), e o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), recebem prefeitos e autoridades do Poder Legislativo no Salão Negro do Congresso Nacional para debater o pacto federativo e desenvolvimento regional. Prefeito de Pelotas, Eduardo Figueiredo Cavalheiro Leite, concede entrevista. Foto: Pedro França/Agência Senado

E se Paulo Guedes deixasse o governo? O mundo desabaria? SAIBA MAIS AQUI

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 12 comentários