Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Governo acusa Luis Miranda de denunciação caluniosa contra Bolsonaro

Onyx Lorenzoni disse que Polícia Federal vai investigar deputado e irmão por apresentarem nota fiscal adulterada sobre compra da Covaxin
Governo acusa Luis Miranda de denunciação caluniosa contra Bolsonaro
Reprodução/TV Brasil

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, disse hoje que Jair Bolsonaro determinou que a Polícia Federal investigue, por denunciação caluniosa e fraude processual, o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) e seu irmão Luis Ricardo.

Ele disse que os dois apresentaram uma nota fiscal adulterada da Madison Biotech, subsidiária da Bharat Biotech em Cingapura, para tentar acusar o Ministério da Saúde de irregularidades na importação da Covaxin. O documento exigiria pagamento antecipado por doses da vacina, o que contraria o contrato firmado pelo Ministério da Saúde.

“Não houve favorecimento a ninguém, não houve sobrepreço, tem gente que não sabe fazer conta, e não houve compra alguma, não há um centavo de dinheiro público que tenha sido despendido”, disse o ministro em entrevista à imprensa.

Como mostrou mais cedo O Antagonista, Luis Miranda disse ter levado a Bolsonaro, em janeiro e março, documentos que apontam indícios de corrupção nas negociações. Disse que o irmão foi pressionado a liberar a importação de 4 milhões de doses mediante pagamento antecipado.

Onyx afirmou que, além de apresentar uma nota fiscal falsificada, o Ministério da Saúde pediu à Bharat que retificasse o documento para que ficasse registrado que qualquer pagamento só seria feito após a entrega das doses. A PF também foi acionada por Bolsonaro, segundo Onyx, para periciar o documento apresentado por Luis Miranda.

Na entrevista à imprensa, Onyx Lorenzoni disse que o deputado “traiu” Jair Bolsonaro.

“Luis Miranda, Deus tá vendo. Mas o senhor não vai só se entender só com Deus, não. Vai se entender com a gente também. E vem mais: o senhor vai explicar e pagar pela irresponsabilidade, pelo mau-caratismo, pela má-fé, pela denunciação caluniosa, pela produção de provas falsas. Se o senhor achava que ia conseguir luz e apoio para tentativa de reeleição, o senhor errou.”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO