Governo cede de novo

Para facilitar a renegociação da dívida dos Estados, o governo desistiu de incluir entre os gastos sujeitos a um teto algumas despesas com pessoal.

Ficarão fora carreiras do Judiciário, do Tribunal de Contas, do Ministério Público e as despesas com auxílio moradia e algumas gratificações.

“Em contrapartida, foi acordado que essas despesas de pessoal, incluindo terceirizados, passam a estar sujeitas a um teto de evolução nos próximos anos”, disse Henrique Meirelles, segundo o Estadão.

Vão gastando, vão…

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200