Governo nega que tenha cogitado mexer nos "direitos dos idosos e deficientes"

Depois de Jair Bolsonaro gravar um vídeo no qual, irritado, encerra as discussões sobre o Renda Brasil, o governo vai tentando transparecer que está tudo bem.

Os ministérios da Cidadania e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia e o INSS divulgaram nota para negar que o governo federal tenha cogitado “restringir direitos aos idosos e pessoas com deficiência”.

“Diferentemente disso, o decreto que está sendo gestado, pelo governo, em conjunto com o Congresso Nacional e a sociedade civil, amplia direitos, adequa a legislação ao que tem de mais moderno no mundo e inclui mais pessoas dentre os elegíveis.”

Bolsonaro, como noticiamos, não gostou das informações de que, para bancar o Renda Brasil, haveria a possibilidade de congelar aposentadorias e o BPC — o benefício assistencial pago a idosos e deficientes.

“Esse é um compromisso inafastável do governo federal: ampliar direitos dos que mais precisam”, diz outro trecho da nota, reforçando o discurso do presidente.

Leia mais: Bolsopetismo pró-impunidade: a aliança para enterrar a proposta de prisão após condenação em segunda instância
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 17 comentários
TOPO