Governo rejeitou Pfizer a 50% do valor pago por EUA e UE

A vacinação antecipada, claro, teria evitado mortes e os prejuízos bilionários provocados pelo fechamento da economia
Governo rejeitou Pfizer a 50% do valor pago por EUA e UE
Foto: Carolina Antunes/PR

“O governo Jair Bolsonaro recusou vacinas da Pfizer no ano passado à metade do preço pago por Estados Unidos, Reino Unido e União Europeia. Consideradas caras em agosto de 2020 pelo então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, até 70 milhões de doses da Pfizer poderiam ter sido entregues a partir de dezembro por US$ 10 cada”, informa a Folha.

A vacinação antecipada, claro, teria evitado mortes e os prejuízos bilionários provocados pelo fechamento da economia.

“Qualquer que fosse o preço da vacina oferecida ao Brasil, valeria a pena. Seja pelo impacto em vidas, pelas colossais perdas de uma economia fechada ou o custo de R$ 1.500 ao dia de um paciente internado em uma UTI Covid”, diz Eder Gatti, infectologista especialista em imunização.

O jornal ressalta que Israel pagou US$ 23,50 em média por imunizantes da Pfizer e da Moderna, e que Reino Unido pagou US$ 37 por dose da Moderna.

 

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie o jornalismo independente.
Mais notícias
TOPO