ACESSE

Governo se recusa a responder como Bolsonaro obteve remédio de controle especial

Telegram

O governo se recusou a informar como o presidente Bolsonaro obteve hidroxicloroquina, um remédio sujeito a controle especial.

Em 8 de julho, pouco depois do ‘chá revelação’ do vírus, O Antagonista perguntou: Como Bolsonaro obteve um remédio de controle especial?

A reportagem recorreu à Lei de Acesso à Informação.

A resposta chegou hoje. A Secretaria Especial de Comunicação Social da Secretaria de Governo alegou que as informações pedidas “dizem respeito à intimidade, vida privada, honra e imagem das pessoas”, a mesma argumentação usada para negar acesso aos famosos exames do presidente para o novo coronavírus.

Desde 20 de março, cloroquina e hidroxicloroquina estão sujeitas à Receita de Controle Especial em duas vias, “sendo a 1ª via retida no estabelecimento farmacêutico e a 2ª via devolvida ao Paciente”, conforme resolução da Anvisa.

Meses antes do ‘chá revelação’ do vírus, Bolsonaro exibiu várias vezes caixinhas dos remédios. Em março, na porta do Alvorada, ofereceu de brincadeira: “ouvi dizer que tá custando um pau cada um no câmbio negro aí (…) Fazer negócio, pô, bora”.

Leia mais: A 'paz conveniente' reina em Brasília: por que eles saem da crise ganhando

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 126 comentários