GP da corrupção

No depoimento à Justiça de São Paulo, João Vaccari Neto foi questionado sobre dois cheques de cooperados emitidos para a Bancoop que foram usados para pagar estadias no Hotel Grand Hyatt de São Paulo, por ocasião do GP de Interlagos de 2005.

Um dos cheques de R$ 50 mil foi endossado por Luiz Malheiros e outro de R$ 55 mil pelo próprio Vaccari.

O ex-presidente da Bancoop e ex-tesoureiro do PT negou que tenha usado o dinheiro de cooperados para pagar hotel, alegando que muitas vezes os cheques eram repassados a terceiros para evitar o desconto da CPMF.