“Gráfica fantasma” serviu ao PT e ao PSDB

Ao arquivar o pedido de providências de Gilmar Mendes, sem ao menos instaurar uma investigação preliminar, Rodrigo Janot privou os eleitores do PT, mas também do PSDB, de tirarem a dúvida sobre a licitude dos serviços prestados pela VTPB.

Como o Antagonista denunciou em abril, com ampla repercussão, a “gráfica fantasma” de Beckembauer Rivelino embolsou um total de R$ 27,9 milhões nas eleições de 2014.

A maior parte (R$ 22,9 milhões) saiu da campanha de Dilma; outros R$ 3,5 milhões foram pagos pelos petistas Arlindo Chinaglia e Rui Costa. Outro R$ 1,1 milhão foi desembolsado pelas campanhas dos tucanos Aécio Neves (R$ 577 mil) e José Serra (R$ 521 mil). O restante do valor foi pulverizado em serviços a outros candidatos menores.

Faça o primeiro comentário