Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Guedes se comprometeu a "mitigar" conflito de interesses com offshore, diz Comissão de Ética

Órgão recomendou "manter inalteradas as posições de seus investimentos durante todo o exercício do cargo", mas alta do dólar valorizou recursos depositados
Guedes se comprometeu a “mitigar” conflito de interesses com offshore, diz Comissão de Ética
Foto: Adriano Machado/Crusoé

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República informa que, ainda em maio de 2019, analisou as informações patrimoniais apresentadas por Paulo Guedes e que o ministro da Economia se comprometeu, de forma protocolar, a adotar “medidas para mitigar ou prevenir a ocorrência de conflitos de interesses”. 

Da mesma forma ocorreu com Roberto Campos Neto, o presidente do Banco Central.

“Dentre as medidas usualmente determinadas e aceitas pela Comissão, encontra-se a recomendação de manter inalteradas as posições de seus investimentos durante todo o exercício do cargo, de modo a prevenir ocorrência de conflito de interesses, nos termos da Lei no 12.813/2013, sem prejuízo da necessidade de outras medidas no caso concreto e da observância das regras previstas na legislação, como a que impede a utilização de informações privilegiadas”, informa o órgão.

Ocorre que, mesmo sem mexer no depósito de US$ 9,5 milhões de sua conta no Caribe, a variação cambial experimentada nesse período resultou em ganho de aproximadamente R$ 14 milhões. Não é segredo para ninguém que a desvalorização do Real é fruto de medidas adotadas tanto por Guedes como por Campos Neto.

A Comissão alega que, “na hipótese de descumprimento das recomendações encaminhadas pela CEP às autoridades alcançadas pelo Código de Conduta da Alta Administração Federal, ou diante de novas informações que não constavam na DCI ou de possível ocorrência de conflito de interesses durante o exercício do cargo, poderão ser reavaliadas as providências recomendadas ou instaurado processo de apuração ética em face da autoridade”.

Diz também que eventuais denúncias, representações e novas informações serão apuradas.

 

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO