“Há 45 anos, era o Pasquim; hoje, é O Antagonista”

Nelson Motta, na sua coluna em O Globo, discorre sobre a relação do PT com a imprensa (e nos cita).

Eis o trecho:

“Por que todas as tentativas de rádios, jornais, televisões, revistas e sites “de esquerda” que, mesmo com fartas verbas públicas, jamais conseguiram fazer sucesso popular nem conquistar um mínimo de prestígio? “O Pasquim” foi a última exceção, há 45 anos, na ditadura. Hoje é o site “O Antagonista”, de oposição, com 113 milhões de visualizações mensais.”

Obrigado, caro Nelson.

O Antagonista será sempre de oposição aos ladrões e demagogos, não importa a que partido pertençam.

Faça o primeiro comentário