Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

"Há indícios fortes de que Fernando Pimentel era sócio oculto", diz PF

Em coletiva sobre a Operação Monograma, desdobramento da Acrônimo deflagrada hoje, o delegado da Polícia Federal Marinho Rezende reforçou que as investigações têm por objetivo comprovar o vínculo do petista Fernando Pimentel com empresas de consultoria que receberam 3 milhões de reais da OAS.

“Há indícios fortes de que ele era sócio oculto e tinha poder de mando nessas empresas.”

Segundo Rezende, “essas empresas prestavam serviços fictícios para legalizar dinheiro que vinha de forma ilícita, como caixa dois”.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO