Hacker da Lava Jato é detido durante toque de recolher em Araraquara

Hacker da Lava Jato é detido durante toque de recolher em Araraquara
Foto: Reprodução/CNN

Walter Delgatti Neto, o principal investigado pela invasão dos celulares da Lava Jato, foi levado por policiais hoje para a delegacia de Araraquara. Mas não por causa das mensagens roubadas.

O motivo foi mais simplório: ele foi abordado durante o toque de recolher na cidade, que enfrenta um pico de Covid-19.

Ironicamente, Delgatti havia acabado de receber do juiz federal Ricardo Leite, de Brasília, uma decisão que o livrou de uma nova prisão no âmbito da Operação Spoofing.

Delgatti participou da audiência com o juiz, no fim da tarde, por videoconferência, no escritório de seu advogado. Ao sair do local, pegou carona com o irmão para voltar para casa.

Ao parar no posto de gasolina, policiais o abordaram para saber o que fazia na rua. Após verificarem sua identidade, notaram que havia dois mandados de prisão em aberto contra ele e o levaram para a delegacia da cidade.

Segundo o advogado Ariovaldo Moreira, os mandados estavam em aberto por desatualização no sistema. Ele foi à delegacia, comprovou que o hacker já tinha decisões que lhe garantiam a liberdade e conseguiu que ele fosse liberado.

“Não houve perseguição ou nada do tipo. Os policiais apenas cumpriram seu dever”, disse o advogado a O Antagonista.

Como mostramos mais cedo, o juiz Ricardo Leite negou um novo pedido de prisão de Delgatti, apesar de reconhecer que ele continuava divulgando mensagens roubadas de autoridades.

O Ministério Público Federal pediu a prisão porque Delgatti concedeu uma entrevista por videoconferência e, para isso, usou a internet, algo que está proibido de fazer desde setembro, quando obteve a liberdade.

Ao negar a nova prisão, o juiz apenas reiterou que ele não use as rede nem conceda mais entrevistas.

Leia mais: Enquanto Brasília faz tudo errado, a Crusoé continuará fazendo o certo: fiscalizando o poder.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO