Hackers roubaram dados recentes de funcionários do TSE

Hackers roubaram dados recentes de funcionários do TSE
Foto: Reprodução/YouTube/JustiçaEleitoral

Ao contrário do que foi inicialmente informado pelo TSE, os hackers que divulgaram no domingo (15) dados de funcionários do tribunal conseguiram obter informações recentes, deste ano.

Na segunda-feira (16), Luís Roberto Barroso disse que os dados vazados, com informações de funcionários e até de ex-ministros, eram relativos ao período de 2001 a 2010.

Uma análise mais aprofundada da Polícia Federal, que investiga o caso, constatou que existem dados de 2020, como endereços e telefones, que aparecem no Portal do Servidor, um sistema administrativo, acessado só por servidores, e sem relação com o processo eleitoral.

Inicialmente, o TSE também informou que o ataque teria ocorrido antes de outubro. Agora, a suspeita é que ocorreu antes do dia 1º de setembro. O ataque partiu de Portugal.

Na segunda, Barroso disse suspeitar que o ataque tenha relação com “milícias digitais” pró-ditadura, uma vez que o vazamento só foi divulgado no domingo, dia do primeiro turno.

“Milícias digitais entraram imediatamente em ação [após a divulgação do vazamento] tentando desacreditar o sistema. Há suspeitas de articulação de grupos extremistas que se empenham em desacreditar as instituições, clamam pela volta da ditadura e muitos deles são investigados no STF”, afirmou.

No domingo, houve nova tentativa de ataque hacker ao sistema do tribunal, mas por meio de acessos massivos para derrubar o sistema. O ataque, com origem no Brasil, Nova Zelândia e Estados Unidos, foi neutralizado e não afetou a votação, apuração e totalização dos votos.

A divulgação dos resultados atrasou porque a inteligência artificial do supercomputador não conseguiu processar rapidamente a grande quantidade de dados.

Hoje, Barroso criou uma Comissão de Segurança Cibernética, a ser presidida pelo ministro Alexandre de Moraes, para acompanhar a investigação da PF sobre os ataques e elaborar estudos para prevenir e combater novas tentativas.

Leia mais: Imagine o Brasil de hoje sem O Antagonista e a Crusoé.
Mais lidas
  1. Médica de Rondônia ri de intubação de pacientes

  2. Bolsonaro contradiz governador do AM e alega que governo não foi informado de falta de oxigênio

  3. Bolsonaro: leite condensado é para 'enfiar no rabo' da imprensa

  4. "Derrubar o governo não basta"

  5. Associação de indústrias confirma negociação para importar vacinas

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 29 comentários
TOPO