Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Após afirmar que morte da mãe era "artifício político", Hang diz estranhar atestado de óbito

Em depoimento à CPI, o empresário disse que criticou nas redes sociais a falta de "cuidado preventivo" e quis diferenciar isso de "tratamento precoce"
Após afirmar que morte da mãe era “artifício político”, Hang diz estranhar atestado de óbito
Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

O empresário Luciano Hang afirmou há pouco, em depoimento à CPI da Covid, que estranhou o fato de o atestado de óbito de sua mãe não mencionar que ela foi infectada pelo coronavírus.

O dono da Havan atribuiu o erro da Prevent Senior a um plantonista e disse que ele foi corrigido.

Achei estranho de não estar no óbito, mas eu sou leigo. Segundo eles, quem preencheu o atestado de óbito foi o plantonista. No dia seguinte, existe uma Comissão de Controle de Infecção Hospitalar, essa comissão viu o erro do plantonista.”

Como mostramos, o dono da Havan admitiu que a mãe teve a doença e que recebeu medicamentos sem eficácia comprovada. Além disso, em seu depoimento, Hang disse que lamentava o fato de sua mãe não recebido “cuidado preventivo”, negando que isso era uma referência ao chamado “tratamento precoce”.

“Vocês foram levados ao erro, como se eu tivesse pedido para não colocar Covid. Olha só que loucura. Imagine eu chamar o médico para dizer: ‘Olha, você não pode colocar Covid’. Para diminuir o número de notificação por Covid.” 

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....