Hecatombe nacional

A chance de ser assassinado dentro de uma cadeia, cercado por assassinos e narcotraficantes, é igual à de ser assassinado numa rua de Aracajú.

A Folha de S. Paulo cita esse dado, mas parece considerar que o primeiro número é mais espantoso do que o segundo:

“Em relação à população carcerária nacional, hoje acima de 600 mil pessoas, a taxa de assassinatos nas prisões é de 58 para cada 100 mil pessoas. A marca supera, por exemplo, a de todo o Estado de Sergipe, o mais violento do país em homicídios dolosos em geral (53,3 por 100 mil habitantes)”.

Faça o primeiro comentário