“Hein?”

Lula também se embananou ao falar das “tralhas” que levou da Presidência. Ele admitiu que levou parte da mudança para o sítio de Atibaia e outra parte para “um sindicato”.

Percebam como Lula não sabe o que responder, pois sabe que a maior parte dos “presentes” recebidos durante os dois mandatos foi enviada ao Sindicato dos Metalúrgicos apenas em janeiro.

Por cinco anos, o material ficou armazenado num galpão da Granero bancado pela OAS.

***

Declarante:- Eu sei que eles deram sinal, depois pagaram, e foi dividido, e eu fiquei sabendo no dia 13 de janeiro de 2011 e fui conhecer o local dia 15 de janeiro. Sei também, dito pelo companheiro Fernando, pelo Jacó Bittar e pelo Jonas, de que uma das ideias deles era, não só que eu tivesse um lugar pra descansar, mas também que tivesse alguma coisa pra guardar as tralhas de Brasília, que é muita tralha que a gente ganha.

Delegado da Polícia Federal:- E o senhor conseguiu fazer isso?

Declarante:- Está lá.

Delegado da Polícia Federal:- Tudo?

Declarante:- Uma parte, pequena coisa.

Delegado da Polícia Federal:- Onde é que está o resto?

Declarante:- Hein?

Delegado da Polícia Federal:- Onde está o resto que saiu de Brasília?

Declarante:- Uma parte deve estar no sindicato, porque tem várias coisas, tem coisas de valor…

Delegado da Polícia Federal:- Qual sindicato?

Declarante:- Hein?

Delegado da Polícia Federal:- Qual sindicato?

Declarante:- Acho que é no sindicato nosso, dos metalúrgicos. Tem coisa de valor que deve estar guardada em banco, tem coisa… Eu já tomei uma decisão, terminada essa porra desse processo, eu vou entregar isso para o Ministério Público, vou levar lá e vou falar “Janot, está aqui, olha, isso aqui te incomodou? Um picareta de Manaus entrou com um processo pra você investigar as coisas que eu ganhei, então você toma conta”.