ACESSE

Hospitais do Paraná demitem 20% dos funcionários; Einstein e Sírio-Libanês cortam salários

Telegram

Com queda de faturamento que chegou a 60%, hospitais privados e filantrópicos do Paraná começaram a demitir funcionários por causa da pandemia da Covid-19.

Segundo o presidente da Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado do Paraná, Rangel Silva, pelo menos 20% dos funcionários do setor no estado já foram demitidos ou tiveram o contrato suspenso.

A queda no faturamento e na ocupação de leitos foi impulsionada pelas medidas de contenção à pandemia, que fez a maioria das cirurgias e consultas eletivas serem canceladas.

Nos hospitais Albert Einstein e Sírio-Libanês, em São Paulo, a situação é parecida. Com 45% a menos de receita, o Einstein cortou em 25% o salário e a jornada de trabalho de 33% dos funcionários.

No Sírio-Libanês, também houve redução de jornada e salários, mas o hospital não detalhou as medidas.

Leia também: Pandemia: quem pode conduzir a crise no Brasil?

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 86 comentários