ACESSE

Hospital Albert Einstein não descarta demissão de Nise Yamaguchi

Telegram

Em entrevista ao SBT, o presidente do hospital Albert Einstein, Sidney Klajner, não descartou a possibilidade de demissão da médica Nise Yamaguchi.

“A doutora Nise teve uma suspensão provisória enquanto o nosso comitê de ética apura o que norteou os comentários relativos à comparação do medo da pandemia ao Holocausto, um momento extremamente importante, onde 6 milhões de judeus foram mortos, e vários sobreviventes contribuíram inclusive com a fundação do próprio Israelita Albert Einstein”, afirmou.

Questionado sobre a possibilidade de demissão da oncologista e imunologista, Klajner afirmou:

“Aí nós temos que consultar quais as consequências que podem haver porque nunca, na história do Albert Einstein, houve uma situação igual a essa.”

Como publicamos ontem, o hospital justificou o afastamento da médica em razão de uma “analogia infeliz e infundada entre o pânico provocado pela pandemia e a postura de vítimas do Holocausto”.

Neste domingo, a médica pediu desculpas e disse que seus comentários feitos em entrevista à TV Brasil foram mal interpretados.

A Associação Sionista Brasil-Israel também se manifestou e divulgou uma nota em defesa da médica. Para a entidade, a “comparação da Dra. Nise com os judeus pode parecer hiperbólica, mas os fatos que ela enxerga têm contato com uma realidade próxima ao fenômeno concentracionário”.

Leia mais: Comprovação do elo entre a Presidência da República e o gabinete do ódio complica Bolsonaro. Clique e leia

Comentários

  • Roosevelt -

    Esse Hospital está fazendo polícia política em seus colaboradores. Coisa que ocorreu no passado e que queremos esquecer.

  • Pedro -

    Nise é genial! Bateu na moleira...

  • Hermani -

    Hospital de rico, e à médica foi infeliz comentar, tanta coisas acontecendo no país e quando faz uma analogia com 2 guerra é motivo polêmica, o mundo já matou muita mais e ninguém se revolto!

Ler 76 comentários