Idealizador da Ficha Limpa ajusta discurso pró-Lula

Em entrevistas até abril, Márlon Reis, um dos idealizadores da Ficha Limpa, dizia não haver dúvidas de que Lula estava inelegível desde o momento em que foi condenado — aqui um exemplo.

“Mesmo antes dos embargos de declaração”, destacava ele.

Há pouco, em conversa com O Antagonista, o ex-magistrado — que é pré-candidato ao governo de Tocantins pela Rede — mudou seu discurso:

“Na verdade, juridicamente, eles [o PT] podem requerer [a candidatura]. Caberá à Justiça Eleitoral tomar uma decisão sobre isso. Ninguém pode impedir o registro de candidatura.”

Questionamos a mudança de tom. Ele tentou se justificar.

“Eu estou tratando a Lei da Ficha Limpa da maneira menos partidária possível. A lei não foi feita com o propósito de atingir uma pessoa em particular. Tenho evitado ao máximo fazer a aproximação desse debate político-partidário com o projeto da Ficha Limpa.”

Comentários

  • sindrome -

    Estes candidatos vira casaca, demonstram bem a que vieram, ajustar seus pensamentos corruptos aos seus bens materiais, depende da ocasião o discurso muda como mudam de cueca, sujos, porcos, nojentos, Pobre Tocantins. Atenção o estado pode se acabar na mão deste porco. MARLON REIS.

  • Marçal -

    Estes caras viajam na maionese para ajustar a lei a seus projetos pessoais. Não importa a justiça, a moral, a ética. Este é um país de corruptos sem educação e sem lei. Para Cleptocracias o remédio é intervenção militar.

  • Roberto -

    Qunado se tem a qualidade de eleitores que temos, não dá para a democracia funcionar. Nenhum candidato diz o que acha certo, com medo de perder votos... Ou se mudam os eleitores, exigindo-lhes alguma competência para o exercício do voto, ou se para com esta brincadeira de 'democracia de 3o mundo'.

Ler 81 comentários