Impeachment: como será a sessão do dia 9

Com o relatório de Antonio Anastasia já aprovado na comissão e lido no plenário do Senado nesta tarde, Ricardo Lewandowski definiu os próximos passos do processo de impeachment de Dilma Rousseff. Trata-se da sessão da próxima terça-feira, dia 9, que será presidida por ele.

O plenário também terá de aprovar o relatório de Anastasia, antes do julgamento final, previsto para o fim deste mês.

O rito foi acertado com os próprios senadores.

Vamos lá:

– A sessão começará às 9h e durará pelo menos 20 horas: ou seja, terminará no amanhecer do dia 10;

– A cada quatro horas de sessão, haverá um intervalo de uma hora. Se a previsão se confirmar, serão, portanto, pelo menos quatro intervalos;

– Renan Calheiros abrirá a sessão e passará o comando para Lewandowski, que, no primeiro momento, tirará dúvidas dos senadores, por meio das chamadas “questões de ordem”;

– Superados os questionamentos (provavelmente da bancada do jardim de infância), Antonio Anastasia lerá um resumo de seu relatório em até 30 minutos;

– Em seguida, cada senador (são 81) terá até 10 minutos para discursar, seguindo a ordem de inscritos. Claro, não é obrigatório discursar;

– Avançando, um integrante da acusação e um da defesa de Dilma poderão apresentar seus argumentos por até 30 minutos;

– Depois, dois senadores favoráveis e dois contrários ao impeachment encaminharão o voto das bancadas em até 5 minutos;

– Por fim (ufa!), ocorrerá a votação por meio do sistema eletrônico. Por maioria simples (metade mais um dos senadores presentes), o processo caminhará para a fase final.