Índios recebem dinheiro do governo para protestar contra o governo

O Ministério da Saúde, por meio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), resolveu bancar a viagem dos índios que, na próxima semana, estarão em Brasília para o Acampamento Terra Livre.

O tal acampamento é organizado por grupos de esquerda, ONGs internacionais e tem também a participação de partidos como o PSOL. O protesto, claro, será contra o governo federal. Michel Temer decidiu demitir nesta semana o presidente da Funai, Franklimberg Ribeiro de Freitas.

Em um áudio obtido pelo site, uma liderança indígena diz que “vamos ocupar palácio, protestar contra ruralista e contra mudança na Funai”.

“A Sesai vai ajudar. Vai mandar passagem e diária”, acrescenta o índio.

A Sesai é responsável por coordenar e executar a Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígena. O atual secretário, Marco Antônio Toccolini, disparou um convite (veja abaixo) convocando para o ato em Brasília.

Apuramos que os gastos com essas viagens podem chegar a meio milhão de reais (veja uma solicitação abaixo).

ATUALIZAÇÃO: O Ministério da Saúde enviou a O Antagonista a seguinte nota de esclarecimento:

1-     A presença de presidentes dos 34 Conselhos Distritais de Saúde Indígena (Condisi) e representantes de algumas associações indígenas em Brasília, entre os dias 18 e 27, diz respeito à convocação extraordinária do Fórum de Presidentes de Condisi (FPCondisi). Com a finalidade de otimizar recursos, foramacrescidos à reunião extraordinária: a participação dos presidentes no processo de Chamamento Público das conveniadas; as reuniões dos Grupos de Trabalho da revisão da Política Nacional de Atenção aos Povos Indígenas e do Modelo de Contratação na Saúde Indígena, além da reunião com a Comissão Intersetorial de saúde Indígena do Conselho Nacional de Saúde para tratar da 6º Conferência Nacional de Saúde Indígena;

2-    De acordo com o Regimento Interno do FPCondisi, são realizadas quatro reuniões anuais, além das extraordinárias; a convocação extraordinária na semana de realização do Acampamento Terra Livre é uma demanda do Fórum, por entenderem se tratar de um espaço legítimo, de participação democrática e construtiva do Movimento Indígena Brasileiro.  Assim, são discutidas pautas específicas da saúde dos povos indígenas durante toda a programação do evento, não sendo possível excluir a instância máxima do controle social da pauta; o Ministério da Saúde apoia a participação de representantes indígenas nessas esferas de discussão por acreditar que esta participação reforça os debates em torno da construção de um modelo de assistência cada vez melhor às comunidades tradicionais;

       Vale ainda destacar que apoiar, e aqui entende-se também como custear, as ações de controle social na saúde indígena, é uma das missões do Ministério da Saúde, prevista na PNAPSI.

 

Comentários

  • força -

    O MPF e a PF tem de investigar essa tal de Sonia Boné Guajajara, que é uma das lideres dessa quadrilha especializada em captar recursos Federais, Estaduais e internacionais através de Ongs indígenas, na sua grande maioria não presta conta desses recursos, ela sempre usa do artificio de usar seus parentes indígenas como massa de manobra, sempre visando benefícios próprios. Enquanto isso os indígenas Guajajara do seu Estado, estão vivendo abaixo da linha pobreza, as margens da BR, lixões municipais disputando com urubus e ratos restos de alimentos, enquanto isso ela recebe o apoio da Sesai pra pressionar o Governo Federal para manter contratos milionários da saúde indígena no seu estado como de fato aconteceu no dia 20 de abril, onde a IMIP ganhou a licitação.

  • soares -

    O Governo Federal precisa fazer uma intervenção na saúde indígena no Maranhão, não é surpresa pra mim que a SESAI Brasília esteja a frente dessa organização criminosa que está instalada dentro da saúde indígena. Aqui no Estado do Maranhão o chefe dessa quadrinha organizada é o Alexandre Cantúaria, que usa da estrutura da saúde indígena pra coptar o presidente do Condisi e outras lideranças indígenas, essa manifestação bancada com os recursos do Governo Federal nada mais foi do que o ação orquestrada para pressionar o Governo Temer para fazer convenio com a IMIP, afim de garantir e da continuidade nos atos inlicitos que acontecem dentro do Dsei e com anuência do marcos Tocolini, com indícios de participação de Deputados Federais da base do Governo, diante dos fatos iremos pedir uma CPI.

  • Eleitor -

    Boulos disse que Temer insultou a memória de Tiradentes. Curioso que na campanha de 2014 pedindo voto para Dilma/Temer ele não disse a mesma coisa. Boulos rouba antes mesmo de ser Presidente. Rouba terras dos outros. Imagine na Presidência o que não faria !!!

Ler 72 comentários