Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

"Inelegibilidade deveria ser para quem pratica rachadinha"

Deputada do Novo Adriana Ventura critica a insistência de líderes da Câmara para tentar aprovar quarentena para juízes e promotores
“Inelegibilidade deveria ser para quem pratica rachadinha”
Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

A deputada Adriana Ventura, do Novo de São Paulo, disse que “o mundo está de ponta cabeça”, ao comentar a nova tentativa dos colegas de emplacar a quarentena eleitoral somente para juízes e integrantes do Ministério Público.

“Em vez de impedir a eleição de larápios, querem impedir a candidatura de pessoas íntegras. Inelegibilidade deveria ser para ladrão, para biscateiro, para quem aceita propinas e favores, para quem pratica rachadinha e para quem é corrupto, e não para quem passa a carreira defendendo o Brasil dos tipos acima”, afirmou a parlamentar a O Antagonista.

Como revelamos há pouco, líderes deram um “jeitinho” para conseguir assinaturas necessárias para protocolar uma emenda aglutinativa sobre o tema, que poderá ser votada hoje.

Adriana Ventura afirmou também, em tom de lamento:

“Deveríamos estar discutindo o fim da reeleição no Executivo, a prisão após condenação em segunda instância, o fim do foro privilegiado, as mudanças na nomeação e nos mandatos para os ministros do STF…”

Na campanha para a Presidência da Câmara, não custa lembrar, Arthur Lira, apoiado por Jair Bolsonaro, dizia que não teria “preconceito” com pauta alguma.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....