ACESSE

Interferência de Bolsonaro poderia "colocar a PF em descrédito"

Telegram

Edvandir Felix de Paiva, presidente da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF), comentou sobre a indicação de Jair Bolsonaro de que poderia interferir na escolha do chefe da PF no Rio de Janeiro.

O delegado disse à Folha que o presidente da República deve se limitar à escolha do diretor-geral da PF.

“Nós entendemos que a Presidência da República é a autoridade máxima e é óbvio que ele tem um poder de comando muito grande, mas em relação a órgãos de Estado, há uma proteção que ele mesmo, como estadista, deve garantir, inclusive com o apoio da legislação, para que a Polícia Federal fique blindada de qualquer interferência externa”, afirmou.

“O presidente, no máximo, deve nomear o diretor-geral, mas não deve descer aos cargos internos da Polícia Federal, sob pena de colocar a Polícia Federal em descrédito.”

Todo o poder a Toffoli. Leia aqui

Comentários

  • JOSE -

    Balela....

  • Marcos -

    Escolher o próprio chefe deve ser muito bom.

  • DAISY -

    Desmoralização também atingiria Bolsonaro, passando a sensação de que o filho cometeu irregularidade grave. Esclarecer essa questão é crucial para calar a Oposição e salvar o mandato apagado de Flavio

Ler 64 comentários