Intervenção no Rio entrega plano a Temer depois de quatro meses

Quatro meses depois do início da intervenção federal na segurança do Rio, o seu comando apresentou hoje o plano estratégico das ações a Michel Temer, informa a Folha.

Segundo o interventor, general Walter Braga Netto, as bases do plano estratégico já estavam definidas e em andamento antes da entrega do documento, que tem 82 páginas, ao presidente.

O documento apresenta oito princípios da intervenção, entre eles cooperação entre os órgãos e liderança única nas ações, e divide as ações em “emergenciais” e “estruturantes” –as segundas, para melhorar a capacidade operativa das polícias.

A intervenção obteve do governo federal um orçamento de R$ 1,2 bilhão.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Enquanto tentam acabar com o crime organizado no Rio de Janeiro os criminosos atacam em outros Estados. Eles conseguiram dinheiro e atrás dele o poder de comprar pessoas assim como os políticos compram votos.

Ler mais 13 comentários
  1. Enquanto tentam acabar com o crime organizado no Rio de Janeiro os criminosos atacam em outros Estados. Eles conseguiram dinheiro e atrás dele o poder de comprar pessoas assim como os políticos compram votos.

  2. Ao se debruçar com sensatez sobre a questão da segurança pública no Estado do Rio de Janeiro, o plano expõe, no entanto, uma grande contradição da intervenção federal. Para realizar o que está proposto no documento não era preciso decretar nenhuma intervenção federal.

  3. Tudo o que o gabinete do general Braga Netto se propõe a fazer poderia ser feito pelo governo do Estado do Rio de Janeiro num regime normal de trabalho. Ou seja, as próprias medidas propostas pela coordenação da intervenção federal explicitam o caráter desnecessário e desproporcional da intervenção.

  4. Eu lula ganho essa!
    Segundo o Brasil 249 (blog que me puxa-saco), eu tenho 40% dos votos úteis!!
    Ganho essa parada!
    orem meus companheiros, assim:
    Senhor, EU o lula Apedeuta, fazei de mim,
    um instrumento da corrupção
    e do golpe a Constituição.
    Sem muita labuta
    Onde tiver gorjeta, que eu encha maleta

  5. Só há um plano sério para o RJ – e para o Brasil violento que a mídia esconde. Este plano se chama “TOLERÂNCIA ZERO”. O resto é burocracia, aplicação de verba (do dinheiro do erário), paliativo, enrolação, política suja, e outras atitudes típicas da classe política que domina o país.

    1. Plenamente de acordo.
      Não tem como lutar com bandidos que não obedecem a nenhuma lei ou regra de “salto alto.
      Aquelas comunidades do Rio sabem quem são e onde estão os meliantes. Poderiam receber um aviso de que têm 2 semanas para denunciá-los com fotos e endereço. Depois disso, é PASSA A RÉGUA.

    2. Sergio, tirou daqui !!!!
      Assino em embaixo, só assim mesmo.
      Tolerância zero já (incluindo Pena de Morte).

  6. O dinheiro ainda não foi liberado. O plano já foi entregue, explicitado e desenhado e está sendo posto em ação na medida das possibilidades. A FSP é um antro de desinformação. Este blog não deveria repercutir tanta mentira.

  7. O uso da sigla FFAA denuncia quem está escrevendo.
    Só os milicos (particularmente aqueles de pijamas) utilizam essa sigla.
    São incompetentes até para se esconder…

  8. Meu sonho é que esse ano o país caia nas mãos de gente séria para que a gente possa levar a sério qualquer plano “no tocante” à segurança pública.
    BOLSONARO NELES!

  9. Enquanto os burocratas demoram 4 meses para fazer um “plano de emergência”, os bandidos dão risadas dos milicos aqui no Rio.
    Fico pensando, porque gastar dinheiro com esses comedores de caviar e lagostas…?