Interventor do Postalis informa oferta de propina por parte de banco americano

Um registro de pedido de propina consta de uma ata do Conselho de Administração dos Correios referente à reunião de 26 de outubro deste ano.

O documento revelado por O Globo — ao qual O Antagonista também teve acesso — mostra que Walter de Carvalho Parente, o interventor do Postalis (fundo de pensão da estatal), foi procurado por advogados para favorecer o BNY Mellon, banco americano processado pelo fundo por perdas bilionárias em escândalos do passado.

Walter informou aos conselheiros que teria recebido a proposta de levar 6 milhões de reais para fechar um acordo com o banco.

Veja este trecho da ata (aqui a íntegra):

 

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 10 comentários
  1. Walter de Carvalho Parente, o interventor do Postalis (fundo de pensão/correios)
    fez muito bem. No Brasil ou no estrangeiro todo mundo acha
    que o povo brasileiro é capacho.
    Mas que advogados pilantras, isso não deve ser atribuição de advogado, ou é?

  2. O país virou um celeiro de corruptos, mentirosos e bandidos, para que a informação conste de ata, é porque o caldo transbordou a muito tempo, a ponto de a corrução não mais necessitar das sombras, virou cotidiano, normal, fazendo parte do dia a dia dos poderosos, é inadmissível, absurdo, mas é nossa realidade, e o povo sentado no sofá esperando pelo MPF e a PF. ACORDA BRASIL!.