Investimentos deveriam ser de 21% do PIB ao ano para garantir crescimento, avalia órgão do Senado

A Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado voltou a defender a necessidade de uma reforma sobre a estrutura de despesas obrigatórias do setor público, como a Previdência.

Em nova edição do Relatório de Acompanhamento Fiscal, a IFI reforçou que as despesas crescentes comprometem os investimentos públicos.

No primeiro trimestre de 2019, a taxa de investimento caiu de 15,8% para 15,5% do PIB – esse número deveria ser de 21% para sustentar uma expansão econômica de 3% do PIB ao ano.

Por que as ameaças de Paulo Guedes abandonar o posto já não assustam tanto. Saiba mais

“A manutenção da capacidade do Estado de conduzir políticas públicas nas áreas de saúde, educação e segurança pública, temas muito caros à população, passa por adequar os gastos obrigatórios. É importante repetir exaustivamente que a consolidação fiscal no país passa pela discussão do peso dos gastos obrigatórios no Orçamento público.”

Comentários

  • Antonio -

    O problema do Brasil é o Investimento "Privado" mediante Capital de Giro Público. O povo corre o risco. E os únicos ganhadores são especuladores e lobbystas.

  • PAULO -

    O comportamento desses políticos do Norte e Nordeste, vai acabar acirrando uma disputa Norte x Sul no Brasil.

  • Rodolfo -

    Tem que acabar com a estabilidade funcional, criar métricas de avaliação funcional para servidores públicos, exonerar 50% desse bando de inúteis e os que restarem terem 30% de corte nos venciment

Ler 11 comentários