“Isso é o óbvio, nem precisava dizer isso”

Rodrigo Janot, sobre a ponderação feita pelo plenário do STF de que será possível revisão ou até mesmo anulação dos acordos de delação premiada, no momento da sentença, desde que haja ilegalidades superveniente:

“Isso é o óbvio, nem precisava dizer isso.”

O procurador-geral acrescentou:

“Ninguém quer aqui agasalhar ilegalidade. O exemplo que o ministro Alexandre de Moraes deu é típico: se se descobre que houve tortura, esse acordo tem de ser anulado mesmo.”

É capaz de descobrirem tortura.