Jair Bolsonaro tentou intervir na Petrobras para evitar último reajuste

Jair Bolsonaro tentou intervir na Petrobras para evitar último reajuste
Foto: Alan Santos/PR

O Antagonista apurou que Jair Bolsonaro tentou convencer Roberto Castello Branco a segurar o aumento dos combustíveis (10,2% na gasolina e 15% no diesel) promovido pela Petrobras na quinta-feira passada.

Bolsonaro havia sido alertado pelo ministro Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) sobre a ameaça dos caminhoneiros de uma nova paralisação e chamou Castello Branco a Brasília.

O presidente da companhia, que é do grupo de risco da Covid, disse que não era possível impedir o reajuste e muito menos abandonar as medidas de isolamento — e que os caminhoneiros não eram problema da Petrobras.

Foi a gota d’água para o presidente da República, que já vinha insatisfeito com a gestão independente de Castello Branco. Na reunião ministerial da tarde de quinta-feira, Bolsonaro soltou o verbo contra o executivo e pediu sua cabeça.

Em vez de esperar a divulgação de fato relevante, como estabelecem as regras da companhia, o presidente acabou usando a live noturna para mostrar sua insatisfação, falando em “consequências” para o presidente da Petrobras e deflagrando um rally no mercado financeiro.

Tudo para ganhar tempo na negociação com os caminhoneiros.

Leia mais: Assine a Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.
Mais notícias
TOPO