“Jamais” é o novo “nego veementemente”

O “nego veementemente” acabou ficando desgastado nas declarações dos envolvidos nas delações da Odebrecht.

A moda agora é usar o “jamais”.

Aécio Neves divulgou nota para dizer que “jamais agiu ou conversou com quem quer que seja no sentido de criar qualquer tipo de empecilho à Operação Lava Jato ou à Polícia Federal”.

Eduardo Braga afirmou ao O Antagonista que “jamais” recebeu os 6 milhões de reais de propina que Joesley Batista disse que foram destinados a ele pelo apoio à reeleição de Dilma Rousseff.