'Jamais quis taxar livros', diz Guedes após enviar projeto que taxa livros

Jamais quis taxar livros, diz Guedes após enviar projeto que taxa livros
Foto: Marcos Corrêa/PR

Em seu debate com deputados nesta terça (4), Paulo Guedes negou ter um projeto que aumente impostos sobre livros —mesmo depois de a Receita Federal ter divulgado documento dizendo que os mais pobres não consomem livros não didáticos e defendendo sua tributação.

O projeto de reforma tributária enviado pelo ministro da Economia ao Congresso no ano passado une a PIS e a Cofins em um novo tributo, a CBS (Contribuição sobre Bens e Serviços), que incidiria sobre o mercado de livros.

“Eu jamais tive um projeto de taxar livros”, alegou Guedes aos deputados. “São aquelas coisas que saem do controle. Inventam uma mentira e ficam repetindo até funcionar.”

Em abril, lembra a Folha, a Receita publicou um documento com perguntas e respostas sobre a CBS. Um dos pontos explicava por que o novo tributo será cobrado na venda de livros.

“De acordo com dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares de 2019, famílias com renda de até dois salários mínimos não consomem livros não didáticos, e a maior parte desses livros é consumida pelas famílias com renda superior a dez salários mínimos”, diz o texto.

Ou Guedes não anda prestando atenção no que a Receita faz ou precisa aprender a mentir melhor.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que tem coragem de fiscalizar TODOS os poderes
Mais notícias
TOPO