ACESSE

"Jamais tomaria ou receitaria cloroquina"

Telegram

A pneumologista Margareth Dalcolmo, da Fiocruz, pegou Covid-19.

O Globo perguntou quais remédios ela tomou.

Resposta:

“Tomei medicamentos anticoagulantes porque hoje sabemos que a Covid-19 tem um componente de trombose importante. Monitoro o oxigênio (…).

Não usei e jamais tomaria ou receitaria cloroquina e hidroxicloroquina, porque não existe qualquer evidência científica de que funcionem (…).

A cloroquina e a hidroxicloroquina, num primeiro momento, foram fármacos da esperança porque não havia nada e não se sabia que ainda poderiam causar problemas. Era compreensível que se fizessem ensaios clínicos para saber se poderiam de fato ajudar e ter ação antiviral. Mas os estudos que seguiram normas e ética até agora não mostraram qualquer efeito benéfico e é muito grave receitar um remédio baseado apenas em crenças e convicções pessoais.

Na semana passada, a comunidade científica apresentou uma nota, da qual sou uma das autoras, que detalha tudo o que se sabe e os estudos feitos sobre a cloroquina e a hidroxicloroquina. A nota condena o protocolo do Ministério da Saúde, uma medida irresponsável. O uso generalizado vai impedir pesquisas sérias. Hoje, vejo a dupla cloroquina e hidroxicloroquina como uma quimera da decepção.”

Reveja aqui a entrevista de Margareth Dalcolmo a Felipe Moura Brasil.

Leia também: Cloroquina ou Tubaína? O que importa saber é: cloroquina é o remédio para a pandemia?

Comentários

  • Valeria -

    É uma pena Lamentável O Reino Unido sozinho comprou uma quantidade absurda de hidroxicloroquina. Aliás, a maioria dos paises europeus estao fazendo uso desse remedio Os bandidos daqui ñ sabem disso

  • Célia -

    Virava e mexia essa Sra estava na GN e CNN para falar mal da cloroquina, qdo Mandetta era ministro.

  • Jose -

    Anta ... favor avisar essa Sra para orientar Dra Nise, Dr David Uip e Dr Kalil, urgente !

Ler 93 comentários