Jânio de Freitas é um homem de sorte

Assim como André Singer, o presidente do diretório acadêmico dos colunistas da Folha, Jânio de Freitas, o decano dos editorialistas da Folha, está fulo com a chegada de 2017.

Ele acha que” desejar ‘feliz 2017’ é uma extravagância cômica. Ou sádica. Haveria alternativas adequadas. ‘Salve-se’. ‘Cuidado com 2017’. E a minha preferida: ‘Sorte’. Neste país, só duas coisas levam adiante: ou ter sorte ou não ter caráter. No primeiro caso, o mérito é um coadjuvante, mas não indispensável. No segundo, isso não interessa.”

Jânio de Freitas é um homem de sorte.

Faça o primeiro comentário