Janot: agora antagonizamos o fato

A notícia sobre o arquivamento do pedido de investigação da VTPB feito em maio, por Gilmar Mendes, ficou ainda mais constrangedora para Rodrigo Janot, porque foi dada com incontida alegria por um blog financiado pelo PT, cujo proprietário é um “suposto jornalista”, para usar a definição do juiz Sergio Moro. Chegou ao blog antes mesmo de chegar ao ministro.

Até hoje, O Antagonista vinha sendo acusado por alguns leitores de confiar demais em Rodrigo Janot. Na verdade, o que tentávamos fazer era impulsionar na direção certa um homem fraco demais para a sua circunstância, na falta de outro menos pior. Como disse certa vez o americano Henry Lewis Simon, o falcão republicano que foi secretário da Guerra nos dois conflitos mundiais, “A única maneira de tornar um homem digno de confiança é confiar nele; e a maneira mais segura de torná-lo indigno de confiança é desconfiar dele e mostrá-lo”.

Procuramos tornar Rodrigo Janot digno de confiança porque até hoje, do nosso ponto de vista, o que havia contra ele ainda estava no terreno das especulações — mesmo a frase sobre a sua régua que tirava Dilma e Lula do campo da Justiça. Antagonizávamos, portanto, as especulações. Agora não mais: o caso da VTPB, concreto como a portinha da sua sede ficcional no bairro da Casa Verde, em São Paulo, o tornou indigno de confiança e estamos mostrando isso. Antagonizamos o fato.

Ao que tudo indica, o acordão está a caminho, com a participação de Rodrigo Janot.

Rodrigo Janot, o fraco

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200