Janot: “O limite da tolerância social é incerto”

Rodrigo Janot enviou um recado aos deputados da comissão especial das Dez Medidas Contra a Corrupção que tentam sabotar o projeto

“No curso da última semana, fui alertado sobre movimentos que se articulavam para desvirtuar a vontade expressa e incontestável da sociedade.”

Segundo Janot, “nem a anistia a crimes, nem a criação de instrumentos que poderão servir para perseguição de membros do Ministério Público ou do Poder Judiciário serão vistos pela sociedade como resposta adequada para o drama que vive atualmente o país.”

E ainda:

“O ano de 2013 deixou – ou ao menos deveria ter deixado – bem aceso na memória de todos que há limites éticos para mudanças legislativas. O limite da tolerância social é incerto, imprevisível e muitas vezes precipita-se com o vigor de um cataclismo, mas ele pode ser percebido pelos sinais que emite quando o ponto de inflexão está próximo.”

Faça o primeiro comentário