Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Jefferson disse à PF ter dado celular para 'transeunte' jogar no rio

Policiais não conseguiram apreender o aparelho quando prenderam o presidente do PTB, em 13 de agosto; hoje, o ex-deputado foi denunciado pela PGR
Jefferson disse à PF ter dado celular para transeunte jogar no rio
Reprodução

A Polícia Federal não conseguiu apreender o celular de Roberto Jefferson quando prendeu o ex-deputado e presidente do PTB na sua casa em Comendador Levy Gasparian, no interior do Rio, no dia 13 de agosto, informa o Estadão.

Jefferson foi preso por ordem de Alexandre de Moraes, que o acusou de fazer parte do “núcleo político” que atua para “desestabilizar instituições republicanas”.

Em relatório enviado ao STF, o delegado da PF Rafael da Rocha Morégula disse que, ao ser questionado sobre o telefone, o ex-deputado alegou ter dado o aparelho a um “transeunte para que fosse jogado no rio Paraibuna”.

A justificativa dada por Jefferson, ainda de acordo com o documento da PF, é que ele nunca teria recuperado outros celulares apreendidos. O relatório diz também que em nenhum momento ele foi visto “portando ou utilizando celular pessoal”.

Antes de prender o ex-deputado, os investigadores estiveram na casa de sua ex-mulher em Petrópolis. Enquanto aguardava os policiais, Jefferson chegou a gravar um áudio de 3 minutos e 40 segundos, enviado a correligionários, em que voltou a atacar ministros do STF.

Mais cedo hoje, conforme publicamos, o presidente do PTB foi denunciado pela PGR por incitação ao crime e homofobia.

Mais notícias
TOPO