Jobim contradiz Palocci

Nelson Jobim diz que “não houve absolutamente nenhuma pretensão de propina ou algo desse tipo” nas negociações com o governo francês para a compra de caças, em 2009.

Jobim acrescenta que Antonio Palocci não participou do processo.

“Ele nem era mais ministro.”

Lava Jato: bombardeio vem de todos os lados. AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 18 comentários
  1. Não era mais ministro. E daí? Não deixou de ser pau mandado do Amigo por causa disso. O vínculo dele com a Orcrim é daqueles que só se rompem matando, e olhem lá – Celso Daniel que o diga.

  2. Claro que a nível de governos esses assuntos não são comentados, imaginem! Agora, no escurinho do cinema e com os fabricantes desses armamentos, rola um monte de sacanagens, podem acreditar.

  3. O governo francês não negocia propinas com os compradores dos aviões, quem negocia essas propinas são os fabricantes ou seus prepostos junto a quem decide e quem autoriza a compra.

    1. É mais ou menos como na época dos piratas, não era o governo de origem deles, mas os comerciantes… Tá, tá bom, vai acreditando em papai Noel…!!!

  4. Não se discute o cargo, se discute a propina em si, quem falou que precisa ser ministro para ser encarregado de coletar dinheiro de corrupção; isso corre a margem do processo.

  5. Tenho certeza quase absoluta q o cachaceiro vai ser absorvido nesse processo, é q Jobim é a raposa por traz das últimas decisões do stf e stj, c/ a finalidade de extinguir a LJ. AGUARDEM!.