Jogo pesado

Na defesa que apresentou ontem ao Conselho de Ética do Senado, Gilson Dipp acusou indiretamente Rodrigo Janot de ter planejado uma “armadilha” contra o senador petista.

Ele disse:

“A gravação tinha o propósito especial de produzir prova contra o senador Delcídio do Amaral. Cuida-se, portanto, de prova ilícita e ilegal que, além de constituir conduta reprovável, o que aqui importa é que foi surpreendentemente aproveitada pelo procurador-geral da República, sem maior advertência, como se previamente já soubesse de sua confecção. Bernardo Cerveró agiu como se estivesse sido comandado por quem, de cima, planejara toda a armadilha e, por isto, já, de antemão, compareceu ao encontro imbuído do propósito de tornar Delcídio do Amaral objeto da prova.”

É uma acusação grave feita por um ex-ministro do STJ e ex-corregedor do CNJ contra o chefe do Ministério Público. Dipp não foi convocado à toa.

Faça o primeiro comentário