Jogos de azar: prós e contras nos EUA

Telegram

Com mais de mil cassinos espalhados por 40 estados, os Estados Unidos têm a indústria dos jogos de aposta mais pujante no mundo, registra O Globo:

– gera 1,7 milhão de empregos;

– e tem um PIB conjunto (incluindo hotéis, shows e toda a cadeia econômica) de US$ 240 bilhões (R$ 780 bilhões), maior que toda a economia do estado do Rio.

“Mas o setor é envolto em riscos e polêmicas.

O gigantismo de Las Vegas contribuiu para o ocaso de Atlantic City, que vive uma crise.

Cidades com elevados números de cassinos costumam ter níveis de suicídios bem maiores que a média nacional — especialistas acreditam que pela vergonha ou desespero de perder tudo em um jogo, ou utilizam o jogo como desculpa para esconder outras motivações.

Há muitos americanos viciados em apostas, e até a arquitetura dos cassinos — sem janelas, para evitar contato com o mundo exterior e a noção do tempo gasto em apostas — são um incentivo para que a pessoa jogue mais do que poderia ou deveria.

Os jogos também criam um ambiente mais propício para a prostituição, e (…) os cassinos são considerados uma porta para outras atividades ilícitas.”

O professor Erik Gordon, da Universidade de Michigan, explicou:

“Apostas são uma grande oportunidade para lavagem de dinheiro. Para evitar isso, seja no Brasil, seja nos EUA, é preciso de uma boa regulamentação e uma fiscalização constante.”

 

Comentários

  • Jornalista -

    Como tudo na vida existem prós e contras, claro, os jogos de azar realmente podem oferecer risco e margem para lavagem de dinheiro, vício e muito mais. Porém, isso tudo também pode ser evitado desde que haja uma boa política de controle sobre esses fatores. Sem falar que as vantagens são muito maiores que os contras, geração de emprego, PIB elevado como vocês citaram e muito mais. Na minha opinião os pros são maiores que os contras que, por sinal, podem ser facilmente controlados.

  • ITAMAR -

    Jogos de azar seriam um enorme problema para o Brasil, pois este país não possui lavagem de dinheiro, prostituição e vícios debilitantes. Nossos políticos são sensíveis à miséria humana dos vícios e das perdas de controle financeiros das famílias, e sempre fizeram tudo para o bem dos cidadãos.

  • LuzNaSuru*a -

    Onde há demanda, haverá uma oferta... Só precisa de regulamentação.

Ler 58 comentários