MPF: “Vantagens indevidas a Sérgio Cabral”

No relatório da Operação Acarajé, o MPF faz referência a conversas interceptadas sobre a concessão de financiamento do BNDES para a Odebrecht nas obras do Porto de Mariel em Cuba e do pagamento de R$ 100 mil a “pessoa detentora de foro privilegiado”.

O nome da autoridade não é mencionado, mas o MPF comenta sobre a preocupação de Benedicto Júnior (BJ) com “assunto envolvendo Sérgio Cabral Fiilho”, identificado pela sigla SCF, e o executivo Márcio Faria, réu na Lava Jato.

“Em diálogos posteriores, Marcelo Odebrecht discute com o executivo o pagamento de estratégia publicitária do PT, além de vantagens indevidas a Sérgio Cabral Filho e outros, promovidas por Márcio Faria.”

No diálogo, segundo o MPF, há referência ao uso de um canal “seguro” de comunicação. Outras mensagens abordam a influência da Odebrecht junto ao governo e a obras das Olimpíadas no Rio.

Faça o primeiro comentário