Jorge Luz, o operador

Em sua delação premiada, Fernando Baiano citou os ex-funcionários da Petrobras Luis Carlos Moreira e Rafael Mauro Comino, prováveis alvos da Operação Corrosão, além do operador Jorge Luz.

Baiano acusou Moreira e Comino, que deixaram a estatal em 2008, de receberem comissões indevidas sobre contratos de fretamento de sondas e da compra da refinaria de Pasadena.

Os valores, segundo o delator, foram discutidos em encontro num escritório de Moreira no Rio. Baiano disse ainda que confiou a Jorge Luz, velho lobista da Petrobras e uma espécie de mentor seu, o pagamento de propinas a políticos do PMDB.

Faça o primeiro comentário