Jorge Mussi é o quarto ministro a se declarar impedido para julgar afastamento de Witzel

Jorge Mussi é o quarto ministro a se declarar impedido para julgar afastamento de Witzel
Foto: Philippe Lima

O ministro Jorge Mussi, do STJ, se declarou impedido para participar do julgamento do afastamento de Wilson Witzel. É o quarto magistrado que não vai poder participar da discussão. Para o lugar de Mussi, foi convocado o ministro Villas Bôas Cueva.

Jorge Mussi não especificou o motivo que o levou a se declarar impedido. Mas ele já havia se recusado a julgar um habeas corpus de Gabriell Neves, ex-número dois de Edmar Santos, ex-secretário de Saúde de Witzel acusado de corrupção e que fez acordo de delação premiada no caso.

Conforme noticiamos mais cedo, além de Mussi, os ministros Felix Fischer, João Otávio de Noronha e Herman Benjamin se declararam impedidos para julgamento. Para as cadeiras deles, foram convocados os ministros Antônio Carlos Correia, Isabel Gallotti e Marco Buzzi.

O ministro Paulo de Tarso Sanseverino chegou a ser chamado para ocupar uma cadeira no julgamento, mas ele informou que não estará disponível.

Witzel foi afastado do governo do Rio por decisão do ministro Benedito Gonçalves, relator do processo em que o governador é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. A Corte Especial julgará amanhã se mantém ou não o afastamento.

A Corte Especial é o colegiado de cúpula do STJ, composto pelos 15 ministros mais antigos. Quando algum não pode participar de julgamentos, o presidente da corte pode convocar o próximo mais antigo para o lugar.

Leia mais: 'Crusoé' revelou pagamentos da JBS ao advogado de Bolsonaro e a participação do presidente em operação em favor do grupo dos irmãos Joesley e Wesley Batista. E os repórteres seguem investigando
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 17 comentários
TOPO