Jornal diz que Bolsonaro sabia da compra de vacinas e combinou 'recuo' com Pazuello, após pressão das redes

Jornal diz que Bolsonaro sabia da compra de vacinas e combinou recuo com Pazuello, após pressão das redes
Foto: Adriano Machado/Crusoé

A Folha diz que Jair Bolsonaro foi informado, ainda no fim de semana, da intenção de compra de 46 milhões de doses da Coronavac pelo Ministério da Saúde. Naquele momento, não se opôs à medida.

Mas mudou de posição ontem, após a repercussão negativa entre seus apoiadores nas redes sociais. O problema foi a capitalização política do tema pelo governador João Doria, desafeto de Bolsonaro.

A versão da Folha diz que o recuo de Bolsonaro foi “estratégico” e que ontem mesmo o presidente teria telefonado a Eduardo Pazuello para dizer que se manifestaria contra o acordo.

Bolsonaro ficou, sim, irritado com Doria. Mas a verdade é que sua reação não teve nada de planejada e deixou, sim, Pazuello numa saia justa. Mais cedo, o ministro-general pensou em se demitir, mas os generais do Planalto entraram em campo e desarmaram a bomba.

A nota sobre a “interpretação equivocada” foi divulgada só depois que a confusão se resolveu. E ela só se resolveu depois que Bolsonaro foi informado de que a vacina será produzida no Brasil e tem insumos chineses como a da AstraZeneca. De qualquer forma, ele não teria como segurar a compra pelo governo de uma vacina aprovada pela Anvisa.

Como publicamos mais cedo, é o “me engana que eu gosto” de Bolsonaro, que está jogando outra vez para a franja radical da sua turma nas redes sociais.

Leia mais: Se você quer por à prova o discurso oficial de que "aqui não tem corrupção", eis sua chance
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 148 comentários
TOPO