JOTA: Cade pós-Lava Jato

A visibilidade inédita auferida com a Operação Lava Jato fez o Cade passar a ser procurado por um número maior de empresas em busca de acordos de leniência. Para se adaptar ao aumento de demanda, o presidente do órgão, Vinicius Marques de Carvalho, abriu hoje (11/11) uma consulta pública para atualizar algumas regras internas.

Entre as propostas, está a redução dos prazos de tramitação interna dos processos para negociar os acordos de forma mais ágil. Outra sugestão é que as empresas que não chegarem ao Cade em primeiro lugar para fazer a leniência ganhem um certificado atestando seu lugar na fila de espera. O primeiro a delatar recebe desconto na multa de 30% a 50%, o segundo, de 25% a 40%, e os demais, geralmente até o sexto, até 25%. Hoje, não há certificação.

Leia mais no JOTA

Faça o primeiro comentário