Jucá tem pressa

Romero Jucá defendeu há pouco que os senadores trabalhem no próximo fim de semana, mesmo sendo após o feriado de 21 de abril.

“Não dá para ver o país parado e a gente (senadores) na praia curtindo feriado”.

10 comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200

  1. PT não é um partido, mas sim uma OCRIM. Agora, o idiota do lider Weverton Rocha enterra sua carreira política e coloca o PDT no titanic do PT. VAMOS PARA AS RUAS HOJE. É tudo ou nada. Não vamos confiar em listas ou entrar em clima de “já ganhou”. O fator decisivo será a pressão das ruas até o último voto.

  2. Caraca hein, a q ponto o Brasil chegou….Ficamos dependentes de voto de “Romero Jucá”, e não sei se pior ou não, do voto do “Tiririca”…Afff..rs… Espero q depois dessa, possamos tomar vergonha na cara e votar melhor e ficar de marcação cerrada em cima desses políticos.

  3. Após o fim do governo do presidente Michel Temer o próximo NÃO deve repetir a dose fazendo alianças com este partido. FORA PT, FORA PMDB e de quebra FORA PSDB!

  4. Antagonista, sou um grande acompanhante de seus trabalhos. Favor corrigir esta postagem. O senador não falou o que vcs descrevem. Falou que ha 3 anos (e não 10) que ele defende a mudança da politica economica (e não a saida do pmdb da base). Pela manutenção da credibilidade do Antagonista, recomendo modificar esta postagem.

  5. tralálá.. enquanto o PMDB existir o clientelismo vai continuar. Não é partido, é uma frente de caciques regionais, ávidos por cargos e ministérios, e carrega todo mundo na garupa, inclusive a crise atual, pois sempre foi governo…desde a redemocratização. Um aglomerado que tornou refém a república, sem programa, sem rumo e sem direção. Mirem-se no DEM, coerente e definido.

  6. Ah, tá! Agora ele vem com essa. Quando a coisa estava boa, ninguém criticava nada. Poupe-me, senhor. Romper com o governo foi a coisa certa a fazer e só, não fiquem tentando dourar a pílula.

  7. Assisti, junto com MEU PAI, a muitas sessões do Senado tenho esse senhor defendendo a presidenta. Fazia questão, ao pronunciar, de destacar o A. –No momento é um indecente útil. –Chegará a hora do mesmo. República de Curitiba.