ACESSE

Juiz condena deputado e empresário bolsonaristas por posts que ligam Jean Wyllys a Adélio

Telegram

O deputado federal Bibo Nunes (PSL-RS) e o empresário Otávio Fakhoury foram condenados a pagar cada um R$ 41,8 mil de indenização por publicações que associavam Jean Wyllys a Adélio Bispo.

Em suas decisões, a juíza Mônica de Paula Baptista, do 5º Juizado Especial Cível do Rio de Janeiro, ordenou ainda a retratação pública em seus perfis.

Os bolsonaristas republicaram acusações feitas pelo ativista Luciano Carvalho de Sá, conhecido como Luciano Mergulhador. O ativista disse que o ex-deputado do PSOL foi mencionado por Adélio em uma conversa durante a greve dos caminhoneiros, em 2017, quando os dois apareceram juntos em uma foto.

No início de junho, como publicamos, o juiz Diogo Barros Boechat, do 5º Juizado Especial Civil do Rio, mandou Carlos e Eduardo Bolsonaro excluírem publicações semelhantes.

Fakhoury disse a O Antagonista que vai recorrer da decisão, porque não é o autor das acusações. “Eu compartilhei para que os meus seguidores no Twitter pudessem ler o texto que o Alberto Saraiva publicou no Facebook. Eu não escrevi o que o Jean Wyllys não gostou, sou uma das milhares de pessoas que compartilharam esse texto”, disse.

O empresário disse ainda que irá acionar a Justiça contra o ex-deputado. “Eu acionei meu advogado e na segunda-feira entrarei com duas ações contra ele. Seria só uma ação, mas o ex-BBB não segurou sua língua, resolveu me caluniar e difamar online, então agora serão duas ações.”

Leia mais: Combo O Antagonista e Crusoé: comece a ler por apenas R$ 1,90/mês

Comentários

  • Jose -

    Se forem a fundo nas investigações chegam lá.....quem sustenta esse cara lá fora, é outro mistério

  • Paulo -

    O CE

  • Jurandir -

    Sou a favor, só é muito estranho que essas fake news nunca são contra a esquerda que pode fazer associação ao nazismo, fascismo, genocídio, justo não é

Ler 55 comentários