ACESSE

Juiz converte em preventiva flagrante de político preso com quase 500 quilos de cocaína

Telegram

A Justiça Federal em Mato Grosso do Sul transformou em preventiva a prisão em flagrante de Nélio de Oliveira, ex-prefeito e ex-presidente da Câmara dos Vereadores de Ponta Porã. Júlio César Benitez, preso junto com Nélio, também teve o flagrante convertido em preventiva.

Os dois foram presos neste domingo (2) num avião com 486 quilos de cocaína e 30 quilos de pasta base de cocaína.

Em despacho de hoje, o juiz Moisés Anderson Costa da Silva disse que “a quantidade de droga apreendida, bem como o modo sofisticado de transporte da carga, mediante a contratação de piloto de aeronave, mão de obra sabidamente bem remunerada, além de configurar a periculosidade concreta do ato praticado, constitui indício de envolvimento dos flagrados Nélio e Júlio em organização criminosa, bem como a confiança desta ação delituosa dos indivíduos”.

Nélio já foi condenado a 21 anos de prisão pelo TRF da 3ª Região em outro processo por tráfico de drogas. Foi solto em 2018 por decisão do ministro Ricardo Lewandowski, do STF, que suspendeu a execução antecipada da pena do ex-prefeito.

“Denota-se que o flagrado faz do crime o seu meio de vida e que a condição de réu em processo anterior não lhe serviu de aprendizado ou impedimento para novas práticas delitivas”, escreveu o magistrado Moisés Costa da Silva na decisão.

Leia mais: Foro privilegiado: o STF dividido de novo

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 38 comentários