ACESSE

Juiz é investigado por levar para casa 240 garrafas de água em um mês

Telegram

“Seria cômico se não fosse trágico”, afirmou o desembargador do Órgão Especial do TJ-SP, Ferraz de Arruda, ao se debruçar sobre o insólito caso de um juiz acusado de levar para casa, diariamente, mais de dez garrafas de água do fórum onde atua.

O desfalque teria sido de 60 recipientes por semana, que eram enfiados pelo magistrado em sua própria mochila. No total, o juiz teria embolsado 240 garrafas em um mês. O caso ficou conhecido como “auxílio d’água” na corte paulista.

Por unanimidade, os desembargadores decidiram instaurar um processo disciplinar contra o juiz Antonio Marcelo Rimola, da 2ª Vara Cível de Itaquera, na capital paulista. O magistrado ganha R$ 40 mil por mês. A decisão acompanhou o voto do corregedor-geral de Justiça de São Paulo, Ricardo Anafe.

Anafe narrou que, além de comparecer somente três ou quatro vezes por semana ao fórum e deixar que seus assistentes ficassem responsáveis pela redação de suas decisões, sem sequer revisá-las, o magistrado levava embora as garrafinhas de água pagas pelo Judiciário paulista.

“As garrafas de água ficavam na copa. Ele passava na copa e retirava as garrafas. O tribunal ainda não tem auxílio d’água, não é uma garrafinha de água que foi levada na volta para casa. Não é isso. Foi o verdadeiro auxílio d’água, que estava estabelecido pelo magistrado”, afirmou em seu voto.

Leia mais na Crusoé, clicando aqui.

Leia mais: Nova coluna de Sergio Moro: leia agora na íntegra. Clique AQUI

Comentários

  • Glória -

    Covid nele!

  • Lucio -

    SE FOSSE O FAXINEIRO ELE SERIA SUMARIAMENTE DEMITIDO. BRASIL É UM PAÍS DE MER....

  • Horacio -

    Rua.

Ler 58 comentários